Autor FICE Brasil

porFICE Brasil


Levando uma menina: Um manual para as mães recém-chegados e as filhas abordam como muitas vezes vêm as famílias que levantam as meninas nos Estados Unidos. O livro incentive uma comunicação entre mães e filhas, um fim de espírito de apoio a meninas que fazem a transição para uma feminilidade de uma forma segura e saudável. Neste webinar, vamos lançar algumas formas de usar o guia em seu trabalho e compartilhar mais sobre como nos tornar membros da comunidade na criação do manual.

Bridging Refugee Youth and Children’s Services (BRYCS)

porFICE Brasil

Caring for Children Moving Alone: Protecting Unaccompanied and Separated Children

This course explores how to offer the best possible alternative care, protection and support to unaccompanied and separated children on the move.
This is a new, unique course, delivered on the award-winning FutureLearn digital platform.
It is a free six week online course.
The course is available in English, Spanish, French and Arabic.
The first run of the course begins on May 27 2019.
The course is available at www.futurelearn.com/courses/caring-for-children-moving-alone
Information on the project behind this unique new course is available at: www.childrenonthemovemooc.com

It has been created with the support of a number of international agencies who are members of the Geneva-based Taskforce for Children on the Move*, and is sponsored by the Taskforce to enable all learners to achieve a certificate of the completion of their learning free of charge.

*Membership of the Taskforce is comprised of international agencies who work together on initiatives to promote the protection and care of children around the world: Better Care Network; CELCIS; Global Partnership to End Violence Against Children; Hope and Homes for Children (HHC); International Detention Coalition (IDC); International Federation of Educative Communities (FICE); International Federation of Red Cross and Red Crescent Societies (IFRC); International Federation of Social Workers (IFSW); International Organisation on Migration (IOM); International Social Service (ISS); Latin American Foster Care Network (RELAF); Save the Children; SOS Children’s Villages International; Terre des hommes (TdH); United Nations High Commissioner for Refugees (UNHCR). and United Nations Children’s Fund (UNICEF).

Over the six weeks, learners will explore:
1) The reasons unaccompanied and separated children are on the move and the risks they face
2) The importance of alternative care and the protection it can provide for unaccompanied and separated children
3) How to assess the individual needs, circumstances and wishes of each child and identify the most suitable form of alternative care, protection and other services that meet their best interests
4) What is suitable and unsuitable alternative care
5) The importance of working within national child protection systems
6) The importance of co-ordination and co-operation between different professions and different organisations.


What learners will achieve
By the end of the course, learners will be able to:
• Identify the specific risks, vulnerabilities and support needs of unaccompanied and separated children on the move and the application of different appropriate responses
• Apply the content and meaning of relevant international and national legislation and agreements
• Explore the principles outlined in the UN Guidelines for the Alternative Care and discover how suitable care can contribute to the protection of children
• Identify a range of promising practices in relation to suitable alternative care settings that meet the needs, wishes and circumstances of each individual unaccompanied and separated child on the move.

Who the course is for
The course is freely accessible for anyone with any other responsibility or, interest in, unaccompanied and separated children.


This course will be of particular interest to practitioners and policy makers from State and non-State bodies and all those who are working and, in contact with, unaccompanied and separated children on the move as well as children on the move at risk of family separation. This includes frontline professionals and volunteers working directly with children and making decisions on his or her behalf, for example:


• those working within humanitarian organisations (staff and volunteers)
• social workers
• para-social workers
• community support workers
• child protection professionals
• teachers
• government officials (e.g. border staff and migration officers)
• lawyers
• psychologists
• medical workers
• members of the judiciary
• care workers


This course is also appropriate for policy and other decision makers – including political stakeholders –working at an international, regional, national and local level.

porFICE Brasil

Biblioteca Digital Crescer Sem Violência

 A Biblioteca Digital Crescer Sem Violência fornece subsídios para a Formulação de Políticas Públicas para a Infância e Adolescência. É uma iniciativa do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) em parceria com a Associação dos Pesquisadores dos Núcleos de Estudos e Pesquisa sobre a Criança e o Adolescente (NECA). Visite ainda hoje a Biblioteca e veja a seleção de guias, vídeos e publicações selecionadas nos temas: Trabalho infantil, Violência contra a criança e o adolescente, Acolhimento Institucional e Familiar, Atendimento socioeducativo, Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, conselho Tutelar e Ações de prevenção e atuação nas situações de desastres.

Veja tudo isto no link: http://bibliotecacrescersemviolencia.org/

porFICE Brasil

CELCIS – Centro de Excelência Escocês para o trabalho com Crianças está localizado na Universidade de Strathclyde, em Glasgow. Sua intenção é a de produzir insumos para promover melhorias positivas e duradouras no bem-estar de crianças, jovens e famílias que vivem nos limites dos cuidados, na Escócia e no mundo. Crianças que, sem nenhuma culpa, não são capazes de desfrutar das mesmas experiências e resultados positivos que muitos dos seus pares. Estabelecem parcerias para alcançar uma mudança eficaz, duradoura e positiva em toda a linha de cuidados, com uma abordagem de implementação inovadora e baseada em evidências.

Veja mais em: https://www.celcis.org/

porFICE Brasil

Better Care Network (BCN) é uma rede internacional de organizações comprometidas em apoiar crianças sem assistência familiar adequada em todo o mundo. O BCN trabalha promovendo a colaboração, pesquisa e compartilhamento de informações sobre o fortalecimento da família e cuidados alternativos, e defendendo mudanças nas políticas nacionais, regionais e globais para melhorar as situações de cuidado das crianças. 

Veja mais no link: https://bettercarenetwork.org/about-bcn

porFICE Brasil

Mapa Interativo

porFICE Brasil

SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE RELAF

LUGAR: SALVADOR, BAHIA, BRASIL

Desde su creación, la RELAF realizó cinco Seminarios internacionales: Mar del Plata, Argentina (2007); Buenos Aires, Argentina (2009); Foz de Iguazú, Brasil (2010); Guanajuato, México (2013) y Ciudad de Panamá, Panamá (2016). 

Estos eventos de gran magnitud convocan a diversos públicos en torno al tema de niñez, entre técnicos de distintas disciplinas y decisores con distintos niveles de responsabilidad en el diseño e implementación de las políticas, tanto de gobierno como de sociedad civil; organizaciones no gubernamentales regionales y globales; organismos de cooperación internacional; investigadores, académicos; niños, niñas y adolescentes. Se alcanzó un total de más de 2000 asistentes, provenientes de 26 países: Argentina, Austria, Bolivia, Brasil, Canadá, Chile, Colombia, Costa Rica, Cuba, Ecuador, El Salvador, España, Estados Unidos, Guatemala, Haití, Holanda, Inglaterra, México, Panamá, Paraguay, Perú, República Checa, República Dominicana, Rumania, Uruguay, Venezuela.

Para todos los agentes, profesionales e investigadores involucrados en el tema de niñez y la situación del cuidado de los niños que viven separados de sus padres, estos seminarios son una oportunidad para ponerse al día y conocer las realidades y los cambios que actualmente se están generando en los países de la región.  Cabe resaltar, además, la activa participación   en estos foros de las máximas autoridades de niñez de los países de América latina y el Caribe, que han estado presentes como expositores, integrando delegaciones intersectoriales, compartiendo las experiencias, avances y desafíos en la adecuación de las modalidades de cuidados alternativos para niños que viven separados de sus familias.  El Presidente del Brasil Luiz Ignacio Lula Da Silva realizó la apertura del Seminario RELAF 2010 acompañado de ocho de sus ministros, con un discurso en el que priorizó la garantía del derecho a la convivencia familiar y comunitaria frente a otros asuntos de la sociedad y de la política en general.Sus apreciaciones, así́ como las entrevistas a diferentes miembros de la Red, fueron difundidas con ocasión del Seminario de 2010 en todos los medios gráficos, radiales y televisivos locales y regionales, además de los medios especializados de todo el mundo. 

Los cinco seminarios sirvieron como relevantes espacios de capacitación, intercambio y de incidencia y generación de consensos para la construcción de la hoja de ruta regional para la desinstitucionalización y la garantía del derecho a vivir en familia y comunidad de niños, niñas y adolescentes de toda la región.

El evento que se desarrollará en abril de 2019 en Salvador de Bahía contará con el Instituto Santos Brasil como organizador local. Se estima reunir una audiencia de aproximadamente 1,000 personas: se espera una alta proporción de participantes brasileños, a los que se sumarán delegaciones intersectoriales de los diversos países de la región y de otras regiones del mundo. 

porFICE Brasil

À escuta da infância

Neste dossiê, apresentamos dez textos que, desde diferentes perspectivas,
pensam a infância. Oito deles foram selecionados entre as comunicações
apresentadas no IX Colóquio de Filosofia e Educação, “Filosofia e educação em
errância: inventar escola, infâncias do pensar”, nos dias 1 a 5 de outubro de 2018 na
Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Dois procedem do fluxo normal da
revista. Independentemente de sua procedência, de sua postura, da disciplina a
partir da qual desenvolvem seus argumentos, das práticas que os alimentam, etc.,
todos eles se entregam à tarefa de “estar à escuta” da infância, de ficar tendidos a ela.

Acesse:

porFICE Brasil

10 princípios para jovens que saem do serviço de acolhimento.¹

 

Produzido por jovens que estão deixando ou já deixaram os serviços de acolhimento ou repúblicas, representantes de diversos países, sendo um deles do Brasil, durante o 33º. Congresso da Federação Internacional de Comunidades Educativas-  FICE: “Juntos construindo um mundo melhor para crianças, adolescentes e famílias” realizado em VIENNA, AUSTRIA, de 22 a 25 de agosto 2016

 

1 – Cada jovem que sai de um serviço de acolhimento² deveria ter direitos, oportunidades, acesso a benefícios sociais iguais e ser adequadamente informado a respeito destes direitos.

2 – Todo jovem que sai de serviço de acolhimento deveria estar envolvido em seu próprio projeto de vida após sua reinserção social e poder comunicar o que tem feito.

3 – Ao requerer entrada na faculdade/universidade, cada jovem que sai de serviço de acolhimento deveria ter benefícios e acesso a bolsa de estudo patrocinada pelo governo ou por organizações particulares.

4 – Para poder encontrar e obter sucesso em um emprego, todo jovem que sai de serviço de acolhimento deveria ter ajuda para estar ciente, e obter reconhecimento de todo o seu potencial, de tal forma que ele possa ter a chance de melhorá-lo.

5 – É importante que os jovens nestas condições tenham um Plano de seguro de saúde grátis para todos.

6 – Para viver a sua vida, todo jovem que sai de serviço de acolhimento precisa se sentir conectado a algumas pessoas com as quais ele possa contar e confiar.

7 – Os profissionais que trabalham oferecendo apoio para os jovens que saem do serviço de acolhimento deveriam estar motivados, qualificados, ser solidários e ter supervisão.

8 – Para poderem cuidar de si mesmos, os jovens que saem de um serviço de acolhimento precisam ter conhecimento das habilidades de vida e também como organizarem as suas rotinas diárias, o que pode ser em reuniões entre eles próprios.

9 – Jovens que saem dos serviços de acolhimento precisam saber como podem exercitar sua capacidade de se manter e viver, tendo uma vida digna.

10 – Após deixarem um serviço de acolhimento, a sociedade deveria providenciar oportunidades para que eles tenham um mentor que os guie e providencie apoio emocional quando for necessário.

 

[1] Tradução livre: M.Lucia Gulassa e Guido Botto. Edição: Isa Guará
[2] Nesta tradução foi incluído o conceito normatizado no Brasil “Serviço de Acolhimento”. Lembramos ainda que na maioria dos países participantes o serviço de acolhimento familiar é um serviço mais presente do que o abrigo institucional.
porFICE Brasil

34º Congresso Mundial ocorrerá em Israel

De 29 a 31 de outubro em Tel Aviv, Israel ocorrerá o 34º Congresso Mundial da FICE.

Por um futuro com melhores oportunidades para crianças em sociedades multiculturais

A visão da FICE – International é criar redes em todo o mundo para apoiar ações e todos aqueles que trabalham com crianças em situação de risco, crianças com necessidades especiais e crianças e jovens em atendimento fora de casa. Todas as atividades visam respeitar a personalidade, os interesses e as necessidades da criança ou do jovem.

Para mais informações: fice.inter@gmail.com